Situação (estatuto do Arquivo)

O Estatuto do Arquivo de Emergência está em suspenso. Ou, em revisão. Ele foi atualizado na dobra Arquivo/Desarquivo, que você encontra na plataforma que agora contém parte dos documentos do Arquivo de Emergência. Desarquivo.org 


livreto arquivo capa 02677

Como ler este texto

Cada NÚMERO / TÍTULO declara uma >ENTRADA do texto que apresenta o [AE] ARQUIVO DE EMERGÊNCIA. Você pode ler as >ENTRADAS aleatoriamente e perseguir as mesmas dentro do texto formando uma leitura livre. A leitura de toda a SITUAÇÃO colabora na compreensão de o que é e como funciona o [AE] ARQUIVO DE EMERGÊNCIA. Neste texto os TÍTULOS são eventualmente substituídos pelas siglas entre colchetes “ [ ] “.

São inseridos também os CONCEITOS (RE)INVENTADOS para os quais você propositalmente não encontrará >ENTRADAS. Os estão colocados nas frases entre travessões “ / xxx / “.

>ENTRADAS e > FERRAMENTAS em elaboração são sinalizados com [DSEN] EM DESENVOLVIMENTO.

/ MÊS / ANO / NOME DO PROJETO / Indicam a participação do ARQUIVO em outros projetos ou [D] DOCUMENTOS produzidos pela Arquivista / MEMÓRIA DO ARQUIVO /.

“ / “ travessões são instrumentos de articulação entre >ENTRADAS, demais conceitos ou expressões. Propõe a leitura dinâmica entre os elementos atravessados.

A Arquivista

livreto arquivo dentro 02679

O >DESARQUIVO é produzido a partir do Arquivo de emergência, uma pesquisa/arquivo desenvolvida entre 2005 e 2010 por A Arquivista e Cristina Ribas. A criação do Arquivo de emergência surgiu simultânea a uma maior mobilização pública e coletiva das práticas artísticas, analisada por diversos pesquisadores e ativistas. A partir de meados de 1998 observa-se efeitos de contaminação de práticas colaborativas e em espaço público promovendo um contato intenso entre práticas artísticas, comunicativas e expressivas, constituindo > ESFERAS PÚBLICAS e apresentando uma série de conflitos e problemas interessantes ao >CAMPO da arte. No Brasil isso significou a promoção de >EVENTOS e >ESTRATÉGIAS motivadas pela >AUTONOMIA entre os >AGENTES envolvidos, possibilitando experimentações de linguagem para além das ações de crítica institucional, e proporcionando ações de >APRENDIZAGEM.

A complexidade das relações e ações fomentadas incentivam a adoção da imagem de um >CAMPO de práticas artísticas, tomada como possível para dar lugar a esta >PESQUISA.  O >CAMPO, articulado à produção do comum alia diferencialmente a produção artística aos movimentos e lutas sociais, à produção da linguagem, abrindo novos sentidos para as experiências sensíveis, radicais e disruptivas, que se tornam contingenciais e se abrem à constante mutação.

O >DESARQUIVO começa com parte dos materiais coletados pelo Arquivo de emergência (arquivo de impressos com catálogos, folhetos, livros, artigos, zines, adesivos, matérias de jornal, entre outros) entre 2005 e 2010. Parte deste arquivo é transformado no banco de dados que disponibilizamos para consulta on-line. O >DESARQUIVO se torna então uma plataforma colaborativa, na qual você pode criar uma conta e enviar material. A incompletude do primeiro (Arquivo de emergência) chama a criação do segundo (Desarquivo).

A ação de ARQUIVO/DESARQUIVO se torna a dobra que produz uma nova plataforma. Contribuindo com a diversidade de práticas artísticas e historiográficas, o >DESARQUIVO se torna mais arquivo possível para o compartilhamento de dispositivos mnemônicos, documentais ou diferenciais produzidos a partir das práticas artísticas, comunicativas e expressivas atuais. O >DESARQUIVO se define então pelo seu uso, fazendo-se uma forma particular e aberta de agenciamento artístico. Um grupo de mediadores foi criado para esta plataforma.

Os materiais aqui disponíveis incitam a reativação dos >EVENTOS e >ESTRATÉGIAS assim como incitam a constituição de novos saberes, atuando na >HISTÓRIA, e o fortalecendo de redes de conhecimento, corroborando em ações de >APRENDIZAGEM.

Rio de Janeiro, Setembro de 2011

[voltar]

 

 

Sorry, couldn’t find any translationPlease support us by using Babylon search engine

Anúncios



Sobre

Este blog apresenta parte do Arquivo de emergência, uma pesquisa/arquivo desenvolvida entre 2005 e 2010 por A Arquivista e Cristina Ribas. O Arquivo de emergência existe/existiu como arquivo real para documentos produzidos a partir de práticas artísticas, comunicativas, expressivas, realizadas no Brasil a partir de meados dos anos 2000. Nas páginas do blog você encontra artigos de Cristina Ribas e A Arquivista, detalhes sobre o sistema de arquivamento e os conceitos do Arquivo, assim como imagens de exposições e montagens do Arquivo. Parte dos documentos disponíveis no Arquivo de emergência estão agora on line na plataforma Desarquivo.org.

Desarquive

Visitas

  • 23,043 visitas

Comentários


%d blogueiros gostam disto: