Blurting-in / Art & Language

O grupo Art & Language (A&L) organizou um arquivo de “anotações” entre os anos de 1972 e 1976 e os dispôs com modificações e adesões a cada nova situação de exposição. A reunião das anotações na forma de um arquivo apresenta o “discurso e a prática dialógica do grupo”, e investiga as funções do mundo da arte; contudo não explora a função da arte em seu contexto próprio, mas num campo exterior. As anotações começaram com base em uma listagem de “cabeçalhos” feita por Michael Ramsden e Michael Corris em 1972, termos a partir dos quais foram escritas as anotações posteriores (que recebiam adendos e novas definições). Tais anotações, contudo, não tem um centro único de onde deveriam surgir, como uma temática pré-definida ou um corpo de questões.

Observação e conceitualização não estão separadas no processo. O termo que intitula o trabalho não tem uma tradução específica em português: refere-se a falar sem pensar, deixar escapar um segredo, e o título revela uma aparente contrariedade, ou sugere que de nada servem as anotações se não concatenadas entre si. Seu sistema de arquivamento possibilita que o leitor (retirado da posição de observador) produza relações entre as anotações, através de (→) conjunção ou implicação, e de (&) concatenação ou conjunção ampla. Outros símbolos que podem ser adotados, trazidos em montagens posteriores são (+) indicando a compatibilidade entre anotações, e (-) a incompatibilidade. (T) é a impossibilidade total de relação, ou o aspecto transformacional entre um e outro.

Atualmente as anotações estão também hospedadas na página da internet da Fundação ZKM (http://blurting-in.zkm.de.), possibilitando a continuidade do processo de leitura/escrita desejado pelo grupo.

Abaixo algumas anotações selecionadas a partir de http://blurting-in.zkm.de/

anotacoes_textos art&lagn

[outras Anotações]

ABC da Mídia Tática, Geert Lovink e David Garcia

A página (excerto de Espécies de espaços [texto completo]), Georges Perec

Arquivos temporários, Cristina Ribas em colaboração com A Arquivista

Artemicro, Regina Silveira

Gerhard Richter, Atlas, por Benjamin Buchloh

Julie Ault, textos selecionados

Teoria da guerrilha artística, Décio Pignatari

Un conocimiento por el montaje, entrevista feita por Pedro G. Romero a Georges Didi-Hubermann

[voltar]

Anúncios


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


Sobre

Este blog apresenta parte do Arquivo de emergência, uma pesquisa/arquivo desenvolvida entre 2005 e 2010 por A Arquivista e Cristina Ribas. O Arquivo de emergência existe/existiu como arquivo real para documentos produzidos a partir de práticas artísticas, comunicativas, expressivas, realizadas no Brasil a partir de meados dos anos 2000. Nas páginas do blog você encontra artigos de Cristina Ribas e A Arquivista, detalhes sobre o sistema de arquivamento e os conceitos do Arquivo, assim como imagens de exposições e montagens do Arquivo. Parte dos documentos disponíveis no Arquivo de emergência estão agora on line na plataforma Desarquivo.org.

Desarquive

Visitas

  • 23,043 visitas

Comentários


%d blogueiros gostam disto: